Veterinário

  • É muito importante que desde a compra de um filhote seja escolhido um veterinário competente e com experiência. Todas as decisões de medicamentos a aplicar, tipo de alimentação e cuidados com a higiene devem ser orientadas por este profissional. A freqüência de consultas varia de acordo com a idade e hábitos do cachorrinho.
  • Um bom profissional não tem preço, e um ótimo nem se fala.
  • Não ofereça comida caseira, guloseimas e sobras, pois além de esses alimentos não serem específicos para cães, podem causar distúrbios intestinais, reações alérgicas, deficiências nutricionais e ainda levar à obesidade.
  • Cuidado: ossos de galinha podem engasgar o seu cãozinho.
  • Mantenha uma rotina de horários. Deixe o alimento à disposição por somente 15 a 20 minutos e depois retire o comedouro, mesmo que o filhote não tenha comido tudo. Ofereça a mesma variedade de alimento somente na próxima refeição.
  • Quando seu cão atingir a maturidade, a alimentação deverá ser gradativamente substituída por uma ração cães adultos.
  • Não ofereça comida a seu cão enquanto você estiver se alimentando, pois ele adquirirá o hábito de pedir à mesa. Além de sua comida não ser adequada, pode levá-lo à obesidade e a carências nutricionais.
  • Carnes cruas ou cozidas, quando oferecidas como único alimento, não suprem as necessidades nutricionais do seu cão. Além de serem deficientes em minerais importantes, como o cálcio, podem transmitir doenças.
  • Os primeiros dias do filhote em seu novo lar devem ser tranqüilos e você deve ser paciente e compreensivo.
  • À noite, coloque uma bolsa de água morna e um cobertor na cama do filhote; isso fará com que ele se sinta protegido e não reclame a falta da mãe e do resto da ninhada. Um relógio mecânico ajuda a mantê-lo calmo, pois simula os batimentos cardíacos da mãe. Um rádio pode aliviar a tensão da solidão. Se ele choramingar, o repreenda, não o leve para a cama com você, pois em poucos dias ele terá se acostumado a dormir sozinho durante toda a noite.